A Quarta Revolução Industrial

Escrito por Tecno Dica

Bootcamp Gratuito Imersão AWS, que vai rolar de 04 a 07 de Outubro.

Você irá aprender na prática a colocar no ar uma aplicação segura, com alta disponibilidade da aplicação ao banco, com deploy sem downtime e escalável.

Compartilhe agora mesmo:

A Quarta Revolução Industrial

Nós estamos querendo saber o que está acontecendo com o mundo. Tudo está mudando. A própria ideia do ser humano como algo natural é um conceito que realmente vai mudar.

Nossos corpos serão tão high-tech, que não seremos capazes de realmente distinguir entre o que é natural e o que é artificial. Dentro de nossas próprias cabeças esta o mais complexo arranjo da matéria do universo conhecido. Você pode se perguntar: “Podemos chegar a ser super-humanos?

” (A Quarta Revolução Industrial) A Revolução Industrial original foi impulsionada pela descoberta de que você poderia usar os motores a vapor para fazer todos os tipos de coisas interessantes.  

Isso foi seguido por resoluções adicionais para eletricidade, computadores e tecnologia da comunicação. Estamos agora nos estágios iniciais da quarta Revolução Industrial, que está unindo os sistemas digitais, físicos e biológicos.  Algo sobre a Quarta Revolução Industrial é que isso não muda o que estamos fazendo, mas nos muda.

Com a capacidade de visualizar a atividade cerebral através de um dispositivo EEG que nos dá acesso a nós mesmos de uma maneira que nunca antes imaginamos.  Ele abre a caixa preta que é o cérebro e permite-nos realmente, ser capaz de perceber uma identidade que seja uma mera aspiração. Existe agora uma base científica para os efeitos referente a atenção plena do genoma, sobre o envelhecimento biológico.

E quando a mente humana se conhece, então você obtém o potencial para um novo renascimento que reestrutura-se em termos da nossa relação com a vida, a nossa relação com o planeta, a nossa relação com o trabalho. Precisamos de um modelo econômico diferente.  E por isso, eu não quero dizer o capitalismo versus comunismo.

O que eu estou falando é uma mudança no sistema ao longo das linhas das duas grandes alterações que ocorreram no século 20.  A escola Keynesiana estava com um maior foco em saúde e educação, e ao papel do governo trabalhando com as empresas.

E então uma reação contra o que no século final ao neoliberalismo, cujo foco estava na liberdade de comércio (livre mercado) e não participação do estado no caminho.  Precisamos de uma mudança para um novo sistema que nos permitirá satisfazer as necessidades básicas de cada ser humano no planeta, que vai viver dentro dos meios planetários, que irá ser mais justo, e que estará focado, tendo como objetivo fundamental, não o crescimento, por si só, mas na maximização do bem-estar humano.

E a história diz-nos que uma mudança de valor é desencadeada pela criação de uma nova história sobre como queremos viver.  Eu vejo a economia circular como algo que se encaixa em estreita colaboração com a meta da humanidade para ser inovadora, criativa e sempre progredir.

Podemos usar o rastreamento de ativos, podemos usá-lo, podemos usar a impressão 3D para permitir que esse modelo econômico de materiais de alimentação volte para a economia, e realmente desdobrar o crescimento das limitações de recursos que temos.

A razão pela qual nós vivemos em cidades não é diferente hoje do que na era de dez mil anos atrás. Mesmo que tenhamos redes nos conectando, ainda queremos ter lugares onde nos encontramos em pessoalmente. Isto significa que os locais onde trabalhamos e vivemos estão muito próximos entre si.  

Uma cidade onde não precisamos ter grandes cadeias de abastecimento para produzir coisas, onde muitas coisas podem ser de origem local, graças à impressão 3D e robótica. Se somos capazes de fazer algo para transformar as cidades, para torná-los mais eficiente, em seguida, o impacto pode ser enorme.

Pense sobre a perspectiva de se livrar do plástico.  Nós não só devemos ser inspirados ou informados por natureza, mas, na verdade, usar organismos naturais para projetar produtos e peças de construção.

Só que, em vez de variar as propriedades do material, estamos variando funcionalidade biológica. O design é fundamental hoje.  É o primeiro sinal da intenção humana. A questão de acrescentar qualidade à quantidade, não é simplesmente uma questão de circular coisas que são potencialmente tóxicos.  Ele está circulando coisas seguras, coisas saudáveis para todas as gerações.

Portanto, o objetivo já não é “Eu quero ser menos ruim, menos monótono, menos inseguro, menos injusto “. Trata-se de um mundo diversificado, seguro, saudável e apenas com ar limpo, água limpa, solo limpo, energia limpa.

Estamos lutando para preservar o nosso clima frágil de danos irreversíveis e devastação de proporções inimagináveis.  A Revolução Industrial original, era uma revolução energética. Eu gosto de pensar nisso como uma espécie de bookending de um período da história humana durante o qual usamos os combustíveis fósseis, e funcionou bem para nós por um longo tempo, mas agora temos que dar um fim nisso.

Temos as tecnologias energéticas para alimentar as nossas civilizações: solar, eólica, biomassa.  Então a pergunta é, como é que vamos chegar a integração na rede? Talvez o vento esteja soprando na Dinamarca, o sol esteja na Alemanha, e agora você pode passar aquela eletricidade através de uma rede integrada, você pode fornecer energia a todos os que precisa dela, e você pode fornecer energia em todos os momentos.

Caminhando por aí, você vê coisas diferentes, coisas, como a linha de união do corpo, Eles usar um monte de coisas que os ajudam a levantar e mover as coisas para o carro. Nós apenas sentamos lá e programamos alguma coisa, e ele tem sua própria mente fixada para seguir em frente e fazer tudo.  

Em seguida, como seres humanos, nós apenas entramos e damos um passo extra para ajudar a tecnologia. Não é a cura para tudo. Há definitivamente um monte de operações nas quais pessoas têm melhor desempenho. Mas para as aplicações certas, a robótica é uma grande melhoria no processo.

A previsão de cinco milhões de empregos perdidos em 2020 para a tecnologia é grave, mas não é a questão principal. Construção, manufatura, serviços, saúde pública e educação: estas indústrias ainda existirão.

A principal questão é, qual será o futuro do trabalho?  Como é que vamos definir o trabalho? Como vamos compartilhar a riqueza? Do ponto de vista do trabalho ou emprego, agora nós calorosamente precisamos de uma nova educação, ou nova formação.

Trabalhamos com um mundo em movimento primeiro Robótica. Tentando encorajar estudantes de terceiro grau, todo o caminho até o final do ensino médio, tivemos os alunos fazendo veleiros.  Então nós tivemos uma corrida para ver a rapidez com que podiam se mover.

Eles voltavam e diziam: “Eu vi o que aconteceu. Eu vou mudar isso.” Isso era com os alunos do terceiro ano. Acabo de dar um prêmio para um jovem de 18 anos que descobriu algo realmente muito, muito único.

Ele apresentou como obter melhor produtividade e melhores rendimentos para as sementes de milho. E assim ele basicamente veio com a ideia de que se você perfurar essas sementes, você vai ter mais alimentos. E você pensa sobre isso, mas ele não foi para a universidade.  Então como é que ele conseguiu todo esse conhecimento?

E ele me disse. Quer dizer, eu tenho assistido YouTube desde 12 anos de idade. Eu estou tão interessado. Eu vi tudo sobre isso. Eu li tudo sobre isso.” O mundo esta realmente aberto para aprendizagem.

A coisa é, como você dá o incentivo para os seus filhos para fazer isso? É esta capacidade da tecnologia digital para mudar os resultados, para realmente capacitar as pessoas em todo o mundo, criar um crescimento mais equitativo, porque eu acho que o mundo precisa disso.  

A Quarta Revolução Industrial tem a potencial para fazer as desigualdades visível, e torná-los menos aceitável na futuro, e espero que para reunir e angariar apoio político para tomar a decisão necessária para reduzir a lacuna.

Os seres humanos sempre usaram ferramentas, mas por causa dos recentes avanços em tecnologia, estamos começando a ter máquinas que podem nos aumentam formas interessantes.

Eu fui a primeira pessoa no mundo a ser capaz de mover voluntariamente minhas pernas enquanto pisando em um robô, excitando o sistema nervoso utilizando estimuladores elétricos diretamente sobre a coluna vertebral.

Nós acreditamos que uma cura será possível se bastante das pessoas certas tiverem a vontade de agilizar o processo de cura da paralisia. Tomamos duas coisas do paciente.  Primeiro nós tomamos um raio-X tridimensional, e extraímos os dados tridimensionais Para que possamos fazer uma perfeita em forma de peça de puzzle. E então nós também tomamos uma amostra de tecido adiposo do paciente e extraímos a célula-tronco.

Usamos essas células-tronco com este andaime tridimensional que fabricamos, E depois de três semanas temos um pedaço de osso pronto para implantação. Ser capaz de utilizar a edição genoma para compreender as alterações genéticas que levam ao câncer e tecnologias como a entrega da droga –  Recebendo moléculas em determinados tipos de células – há emoção sobre ser capaz de se mover mais rapidamente sobre esta doença.

Mas uma das coisas que eu acho que é tão essencial para as sociedades livres e abertas é a liberdade de pensamento. Até agora, a Até agora, a conversa que temos tido é em torno da liberdade de expressão.

Uma vez que podemos acessar os pensamentos das pessoas e acessar as emoções das pessoas, Temos de criar um espaço que permita às pessoas pensar livremente, pensar pensamentos divergentes e criativos.  

E em uma sociedade onde as pessoas temem ter esses pensamentos, a probabilidade de ser capaz de desfrutar do progresso é significativamente diminuída Precisamos assumir responsabilidade em todos os níveis da sociedade, do individual e do pessoal, ao institucional, ao global, para se adaptar a estes desafios e mudanças tecnológicas Que estão redefinindo o que significa ser humano, o que significa trabalhar, o que significa ser completamente incorporado neste mundo.  As pessoas sempre me perguntam se sou otimista ou pessimista.

A tecnologia existe, mas como entrar e implementá-la na escala que precisamos, a um preço que as pessoas podem pagar?  Embora tenhamos problemas cotidianos que temos de resolver, temos de encontrar um caminho de lançar as bases para as inovações de amanhã. (O World Economic Forum) Transcrição para o português por Mariana Viana

Fonte. Poderá ver o vídeo no youtube Aqui

 

Comentarios

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Translate »